A exceção

Indisponível

A exceção

Christian Jungersen
  • Formato(s) de venda:
  • Tradução: Ryta Vinagre
  • Páginas: 560
  • Gênero:
  • Formato: 16 x 23 cm
  • Lançamento: 05/03/2008

Com um enredo que envolve competição, sabotagem, terror psicológico e crimes, A exceção traz à luz um problema que no Brasil, de acordo com estudo realizado pela PUC-SP, atinge 33% das pessoas em seu ambiente de trabalho: o assédio moral.

O livro retrata o apodrecimento das relações entre cinco profissionais que atuam no Centro Dinamarquês de Informações sobre Genocídios, organização européia com finalidades acadêmicas e humanitárias. Lá, duas jovens trabalham com a análise e a divulgação de dados sobre movimentos genocidas que deixaram, no século XX, 60 milhões de mortos em todo o mundo. Elas dividem o escritório com o chefe, que luta por financiadores, prestígio e contra uma possível fusão, e duas mulheres mais velhas: uma secretária de passado nebuloso e uma bibliotecária recém-contratada, alvo de inexplicáveis maus-tratos das colegas.

A hostilidade e os desentendimentos aumentam quando as jovens começam a receber e-mails com ameaças de teor neonazista. As pistas indicam que o autor é um criminoso de guerra, alvo de artigos publicados pelo Centro, mas, em meio a hostilidades contínuas, as duas acabam manipulando as circunstâncias para que a bibliotecária se torne a principal suspeita. Tudo isto produz uma paranóia que ultrapassa os limites do Centro e contamina os relacionamentos íntimos. Os personagens constroem e desfazem alianças ao sabor das conveniências. Amigas disputam o mesmo homem. Acadêmicos e jornalistas são manipulados visando vantagens pessoais. Profissionais de alto nível envolvem-se com invasões a domicílios, usam falsa identidade e cometem crimes de informática para rastrear mensagens particulares. Todos, em algum grau, são enredados nesta espiral de tensão e insegurança em um processo que culmina em morte.

Com um paralelo bem construído entre os padrões de comportamento dos personagens e estudos clássicos sobre psicologia social e ódio coletivo, Christian Jungersen faz pensar até que ponto a pessoa comum, numa situação extrema, consegue não se deixar corromper pela maldade. Em A exceção, quem foge à regra não é aquele que compactua com o mal, mas quem resiste a isso.

Christian Jungersen

Christian Jungersen

O autor revela seu talento para o suspense utilizando-se do contraponto entre o perfil psicológico de seus personagens e teorias sobre a maldade, como o trabalho da filósofa Hannah Arendt e as experiências científicas sobre obediência do psicólogo Stanley Milgram. Como analista de informações em uma organização, Christian Jungersen testemunhou ele mesmo várias formas de assédio moral no trabalho.