O Rei de Amarelo

Indisponível

O Rei de Amarelo

Robert W. Chambers
  • Formato(s) de venda:
  • Tradução: Edmundo Barreiros
  • Páginas: 380
  • Gênero:
  • Formato: 16 x 23 cm
  • Lançamento: 19/04/2014

O Rei de Amarelo faz alusão a um livro dentro do livro – mais precisamente, a uma peça teatral fictícia – e seu personagem central, uma figura sobrenatural cuja existência extrapola as páginas. Pouco se sabe a respeito do texto original em dois atos, exceto que seus leitores são levados à loucura, condenando sua alma à perdição. Um risco a que alguns aceitam se submeter, dado o caráter único da obra, um misto irresistível de beleza e decadência.

O livro fictício O Rei de Amarelo aparece em quatro dos dez contos reunidos na coletânea. Os outros seis contos alternam entre o sobrenatural e a realidade, em épocas e geografias diferentes. A introdução e as notas do jornalista e escritor Carlos Orsi, um dos autores publicados na antologia americana Rehearsals of Oblivion, clássico tributo a Robert W. Chambers, ajudarão novos leitores a mergulhar na bem-construída mitologia do autor.

Robert W. Chambers

Robert W. Chambers

ROBERT W. CHAMBERS nasceu no Brooklyn, no ano de 1865, estudou na Escola de Belas-Artes e na Académie Julian, em Paris, e teve suas ilustrações usadas nas revistas Life, Truth e Vogue. Foi pintor e ilustrador antes de se arriscar na literatura, mas foi com O Rei de Amarelo que se tornou conhecido. Em seguida, abandonou a literatura fantástica e passou a escrever romances água com açúcar que atendiam ao gosto de moças românticas. Chambers gostava de caçar, pescar, colecionava borboletas, arte oriental e livros raros. Morou em Nova York com a mulher e o filho até sua morte, em 1933.